O que é a Norma de Desempenho? Saiba aqui!

Sabemos que as obras podem ser valorizadas por meio das soluções, tecnologias e certificações obtidas por seus gestores. Um aspecto de destaque nessa lista e que deve ser considerado na elaboração dos projetos é a Norma de Desempenho (NBR 15575).

Ela tem como público-alvo todos os profissionais da cadeia produtiva da construção civil, além de engenheiros, arquitetos, construtoras, incorporadoras e fabricantes de materiais. Como o atendimento de suas definições é obrigatório, vale a pena buscar informações que orientem o cumprimento de tais requisitos.

Que tal começar esse processo com a ajuda do nosso artigo? Acompanhe os tópicos que preparamos sobre o assunto e tire as suas dúvidas!

O que é a Norma de Desempenho?

Aprovada em 2013 e publicada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), essa norma trata do desempenho de edificações habitacionais. Sua abrangência é nacional, o que significa que suas definições devem ser consideradas por profissionais de todo o Brasil.

A NBR 15575 foi a primeira a focar na qualidade dos sistemas da construção civil, bem como no uso desses recursos por parte dos consumidores. Seu principal objetivo é estabelecer algumas exigências para cada um dos sistemas que envolvem uma edificação.

A partir de parâmetros como durabilidade, garantia, vida útil, desempenho acústico e desempenho térmico, é possível certificar o nível de excelência de um empreendimento. Isso vale para todos os imóveis residenciais, desde edificações unifamiliares até unidades em edifícios residenciais.

Portanto, a Norma de Desempenho foi desenvolvida para proporcionar segurança e garantir um padrão de qualidade ao usuário final da obra. Assim, ela funciona como um “selo de consumo de energia” composto por diferentes escalas — neste caso, as escalas estão relacionadas ao conforto.

Quais são os desafios para as grandes obras?

Desde que entrou em vigor, a Norma de Desempenho promoveu diversas mudanças na concepção e construção das edificações voltadas para habitação. Sua obrigatoriedade desde 2013 passou a exigir maior esforço por parte das incorporadoras, construtoras, projetistas, fornecedores e empreiteiros, desde a fase de concepção até a execução da obra.

Cabe destacar, no entanto, que a própria norma apresenta um tópico sobre como atender suas definições. Isso facilita o trabalho de vários profissionais, que podem consultar o documento sempre que tiverem alguma dúvida sobre as análises e outros procedimentos.

A maioria das adequações para casas e apartamentos devem ocorrer em notas de projetos e no registro das definições. Os testes laboratoriais para comprovar o desempenho da edificação podem ser realizados em parceria com fornecedores especializados. Dessa forma, é possível validar os sistemas no próprio local e gerar relatórios de ensaio para o empreendimento.

O que é exigido pela Norma de Desempenho?

A NBR 15575 foi dividida em 6 partes. Cada uma traz critérios objetivos de qualidade e os procedimentos necessários para determinar se os sistemas da edificação atendem aos requisitos estabelecidos.

Veja, a seguir, um breve resumo dos trechos contidos na Norma de Desempenho.

Parte 1 — Requisitos Gerais

A primeira parte apresenta os requisitos de sistemas que não têm um capítulo exclusivo, além de definições, responsabilidades e parâmetros.

Parte 2 — Sistemas estruturais

Essa parte estabelece os aspectos estruturais que devem estar presentes em uma edificação habitacional. Assim, são indicados números referenciais para garantir estabilidade à obra, bem como níveis de resistência para evitar patologias — a exemplo de rachaduras e outras falhas.

Parte 3 — Sistemas de pisos

Nesse item são normatizados tanto os pisos internos quanto os externos da edificação. É uma das partes que mais foi revista durante as modificações da NBR 15575. Inclusive, traz informações relacionadas a coeficiente de atrito e resistência a escorregamento, a fim de tornar os ambientes mais seguros.

Parte 4 — Sistemas de vedação

Trata dos desempenhos dos sistemas de vedação, o que inclui todas as paredes e suas esquadrias (tanto fachadas quanto portas e janelas). Assim, são consideradas condições como estanqueidade ao ar, estanqueidade à água, estanqueidade contra rajadas de vento e estanqueidade para promover conforto térmico e acústico.

Parte 5 — Sistemas de coberturas

Essa parte da Norma de Desempenho diz respeito aos materiais de revestimento empregados nos telhados e outras superfícies. Ela determina como deve ocorrer a resistência ao calor (reação ao fogo), chuva e à presença de chamas durante determinado período.

Parte 6 — Sistemas hidrossanitários

Trata dos requisitos essenciais para os sistemas de água fria e de água quente, de esgoto sanitário, de ventilação e também de águas pluviais das construções. Os conceitos abordados incluem desde durabilidade até práticas de manutenção para garantir o bom funcionamento desses recursos.

Atendendo a essas exigências

Apesar de não ser uma norma opcional, o interesse pela NBR 15575 deve ir além do objetivo de atender uma obrigação. Afinal, estar de acordo com suas definições é uma maneira eficaz de proporcionar segurança e comodidade aos futuros usuários/moradores.

Atender aos requisitos da norma também é o caminho para evitar custos extras com adequações futuras. Isso porque os gestores terão cuidado com cada detalhe que envolve a edificação, prevenindo problemas e dores de cabeça para todos os envolvidos.

Outro ponto a destacar é a definição das responsabilidades, que fica mais clara com as orientações da norma. Por meio desse documento, os profissionais conseguem fazer a divisão adequada de tarefas entre construtores, usuários, projetistas e até fabricantes.

Todos esses cuidados valorizam a obra como um todo, tornando-a mais atrativa no mercado. As construtoras, por sua vez, ganham credibilidade e passam a ter a certeza de que seus projetos sempre atenderão aos requisitos de qualidade.

Como pôde ver, a Norma de Desempenho tem papel fundamental na adequação de empreendimentos e deve ser considerada no desenvolvimento de todo projeto. Não é à toa que se tornou uma espécie de selo de qualidade a ser conquistado pelas empresas que atuam na construção civil.

Ainda não tem cadastro em nossa newsletter? Aproveite para assinar e garantir o recebimento das próximas publicações do blog!

Logo